quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Naquele Bar

Naquele bar toda cerveja acalma , toda cachaça desinibe e todo whisky consola.

Naquele bar toda historia é verdade e toda verdade é triste.

Naquele bar sempre existe uma lucidez vagando no ar e um possível sonho misturado a uma fumaça inebriante.

Naquele bar há também um total desengano e a sensatez dos que nunca se corrigirão.

Naquele bar uma mulher, que dança de olhos fechados, sorri alto e não chama a atenção de ninguém.

Naquele bar a mulher se mistura ao professor desolado pelo sonho perdido, a frustração do que poderia ser e não foi.

Naquele bar um amante do alcool pode fazer do mesmo seu confidente.

Naquele bar a música triste traz a contradição do sorriso.

Naquele bar um desesperado pode sorrir sem parecer louco.

Naquele bar uma alma cansada pode aproveitar o cochilo do corpo para sambar com um copo na mão.

Naquele bar a meia luz soturna do ambiente pode ser confundida com raios de esperança.

Naquele bar um freguês pode dançar dançar forró enquanto a banda toca um bolero.

Naquele bar a dose é a medida perfeita para os que não tem limite.

Naquele bar, no balcão as estórias são muitas: Uma jovem triste confidencia seu amor impossível, enquanto uma executiva de meia idade admite que o tempo lhe dá calafrios. Uma outra tatuada sorri do fundo do poço e garante que a próxima vez será a derradeira.

Naquele bar a música hipnotiza os passageiros da noite, por uma pequena fração de tempo a solidão e o desespero podem ser enganados e tudo é misturado com alegria, prazer e consenso.

No bar das lamentações, quando a noite se finda os convidados devem voltar para suas vidas. O professor sai andando devagar, uma garota cambaleia com seu copo. O sol queima a face de todos enquanto seguem de volta para seus mundos.
Enquanto isso do outro lado da rua um onibus passa lotado e um vira-latas mija num poste sem desconfiar de nada.


* Baseado em algo que li e não me lembro onde.

4 comentários:

Sunflower disse...

Ai, que angústia. Não achei essa estória bonita.

Luciana disse...

Eu já fui lá vaaaaaaaaarias vezes e enchi o pote!rs

Amore,tem meme pra você lá no meu cantinho!

Lindalva disse...

que poético !!!! :)

paula barros disse...

Um conto que retrata, para mim, com fidelidade ambientes de bar. Um olhar que vê o que está visto e vê o não visto. Sente a mente e a alma dos que frequentam os bares.

Gostei muito.

abraços