sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Pedaço do cotidiano

Ele já estava no segundo chope quando ela chegou.
-Oi. Disse ela e lhe deu um beijo estalado na bochecha.
Ele achou estranho ela parecia fria.
Vou pedir um chope para você.
Não, vou querer só uma água.
Só água?
É... Nós precisamos conversar.
Ah Não! DR aqui no meio do bar é foda.
Ela suspirou desanimada e disse:
Você quem marcou aqui eu falei para irmos para minha casa. Precisamos falar sério.
Garçom, uma água e uma vodca.
Vodca?
É para mim, preciso de algo mais forte, se você quer falar sério, ou vai terminar comigo ou dizer que está grávida. - Ele se calou de súbito ao notar o olhar irado da namorada.
E o que seria pior?
Ele ficou calado um tempo, tomou mais um gole de chope e disse:
Essa é uma daquelas perguntas que qualquer que seja a resposta você vai ficar furiosa comigo?
Ela sorriu desanimada confirmando.
Então vou esperar a vodca chegar.
Foi como se houvessem apertado um gatilho, ela disparou a falar:
Você brinca o tempo todo! Só vive em bares, enchendo a cara... É chope na quarta após o futebol, BG na quinta com os amigos da faculdade, hapy hour na sexta com o pessoal do escritório. Quanto tempo não vamos a um teatro?
Fomos outro dia ver aquela peça. Não lembra? Você me convenceu dizendo que a música era dos beatles e tal. E chegando lá era um monte de viado dançando e cantando.
Isso foi no início do ano seu idiota! Você só pensa em beber, está virando um alcoolatra.
Que isso! Se eu fosse alcoolatra, teria a coragem de ir trabalhar bêbado.
E na semana passada?
Dois chopes na hora do almoço,não deixam ninguém bêbado, e além do mais era sexta-feira.
Isso não vem ao caso, não importa mais, quero terminar essa relação, você não liga para nada e ainda faz piada, não consegue ter uma conversa séria feito adulto. Não temos futuro juntos. - Ela quase foi às lágrimas.
Ele ficou calado, o garçon trouxe o pedido. Ele virou o copo bebendo de um talagada só.
Ela, tremendo levemente, tomou um gole da água. Permaneceram ambos calados.
Pelo menos você não está grávida. Disse ele por fim.
Ela jogou o restava da água na cara dele, se levantou bruscamente e saiu pisando fundo pelo bar.
Enquanto as pessoas próximas o olhavam espantadas, ele pegou alguns guardanapos de papel enxugou o rosto e pediu mais vodca ao garçon.
O fim da noite é bem previsivel, ele bêbado pedindo penico.

Uma das vantagens dos bêbados é que eles não tem dignidade.

5 comentários:

anderson eduardo disse...

kkkk, 'Uma das vantagens dos bêbados é que eles não tem dignidade' .... essa foi boa... belo texto... abração e bom final de semana

Sunflower disse...

Não tenho paciência pra isso, mesmo. Obviamente, esse cara não queria um relacionamento queria um copo americano meio quilo de fígado um ovo cru e esquentar no microondas a gosto.

beijas

Luciana disse...

"Uma das vantagens dos bêbados é que eles não tem dignidade"

Concordo plenamente.
Estou precisando beber mais,daí ninguém vai me julgar mesmo...Estou bêbada porra!

Muito bom o texto!

paula barros disse...

Esse ainda pediu penico. Se abre um blog e começa a contar as histórias que vivi no bar, nunca mais vai pedir penico. Ah, coitada....

Uma história que acontece muito.

abraços

Nanda Assis disse...

adorei a história, as vezes tenho vontade de separar do meu marido por causa de bebida, mas qndo eu tomo o terceiro copo, já desisto da idéia.

bjosss...